1 de novembro de 2008

Do desespero humano



Katia Chausheva photo 10704159_824490280915959_7026912729897363007_n_zps0db1ad68.jpg
Fonte: Katia Chausheva

Aos olhos do mundo o perigo está em arriscar, pela simples razão de se poder perder. Evitar os riscos, eis a sabedoria. Contudo, a não arriscar, que espantosa facilidade de perder aquilo que, arriscando, só dificilmente se perderia, por muito que se perdesse, mas de toda a maneira nunca assim, tão facilmente, como se nada fora: a perder o quê? a si próprio. Porque se arrisco e me engano, seja! a vida castiga-me para me socorrer. Mas se nada arriscar, quem me ajudará? tanto mais que nada arriscando no sentido mais lato ganho ainda por cima todos os bens desse mundo - e perco o meu eu.

O desespero Humano - Kierkegaard

7 comentários:

Jude disse...

arrasou, Kierkegaard! fique nu.

Lici in the sky with diamonds disse...

eis o brilhantismo de tudo: perceber qnd a vida te castiga com o intuíto de salvar-te. aiai (:

ludymylla disse...

Kierkegaard se garante muito moi. :~

lyani disse...

Belo e doloroso!

Vanessa disse...

outch!!!

(espero que estejas bem!)

beijinho*

Rilke disse...

arrasou, Kierkegaard! fique nu [2]

Uma Lora qualquer disse...

Diariamente ao te ler enxia-me de alegria...
Hoje já nao sei de ti, nem de todos os sentimentos que carrega.

Saudades