15 de março de 2008

Do meu relicário



Devias estar aqui rente aos meus lábios
para dividir contigo esta amargura
dos meus dias partidos um a um

- Eu vi a terra limpa no teu rosto,
Só no teu rosto e nunca em mais nenhum


Eugénio de Andrade



Foto de Graça Loureiro

7 comentários:

S. disse...

Agradeço as palavras e vim retribuir a visita!
Muito acolhedor este canto, passarei a ser visita frequente ok?
;-)

Liciane disse...

A chuva sempre é consoladora, pelo menos pra mim. Me faz confudir o barulho das lágrimas que caem aqui dentro com o das gotas do lado de fora. E deste tipo de confusão, eu gosto. É necessário que seja assim :) Não sempre, pq sempre é mt tempo..

Só qria dxar claro q tu é peça rara no quebra-cabeça da minha vida! Pensei em ti ontem e hj e qro q td seja cm tem q ser :*

Vanessa disse...

eu aqui também preciso de chuva. uma tempestade, talvez. (vai ver o teu hi5. mandei-te uma mensagem) *

Sam disse...

E que essa calma perdure ainda que o tempo mude.
Adoro a chuva!!!

Uma ótima semana pra ti!!!

Beijos!!!

ludymylla disse...

cadê você ein?

victor disse...

e tu já voltou?

victor disse...

"é como meu pai me disse:
a vida é uma alucinaçao de Alice."