26 de maio de 2010

As palavras que eu nunca te disse


Jamais olhava para trás, jamais:

o que estava feito, estava feito,
estava consumado,
estava para sempre imutável,
inamoldável.

Caio Fernando Abreu


"Já não me lembro da última vez que escrevi. Não me apetece chorar nem oferecer os pulsos à melancolia quando ouço certas e determinadas músicas. Muito menos quero ler os poemas tantas vezes sublinhados, nem mesmo aquelas páginas discretamente dobradas aos cantos, a lembrar as eternas marcas nesses livros proibidos. É que ainda assim, depois de todos os esforços, continuo a achar as pessoas magoadas mais bonitas e autênticas: têm sempre muitas vidas para contar. Acabei - agora - de fazer notar mais um fracasso universal. Se calhar a única verdade é esta: i hate sleeping alone. Vês? Aqui se mostra a nossa triste transparência. Não precisamos de espelhos sequer. A ferida faz-nos olhar em frente à procura de uma cura em sítio incerto. E quem não percebe isso nunca poderá atravessar comigo aquela ponte. A que me leva ao meu lado mais feliz."


4 comentários:

Lana disse...

esse blog é lindo =)

Vanessa disse...

oh, que surpresa tão bonita encontrei aqui. :))))

(saudades.)

beijo*

Luísa Alves disse...

...Mas o minimalismo do que blog dando importãncias às imagens que aparecem nele é que faz a diferença. O seu é belo! bjbj

Rebeca Xavier disse...

gostei do diálogo com a imagem