24 de agosto de 2008

Once upon a time


5 photo CatarinaKrung.jpg
Catarina Krung

Controlo a intensidade das palavras para que as pulsações continuem firmes. O modo de não te afastar é tornar-me um pouco misteriosa, menos efusiva. Confesso: um esforço que me rouba as forças. Contenho os sorrisos que na tua presença me escapam e nunca pensei que isso fosse uma tarefa de tão difícil execução. E percebo, muitas vezes, que não sou eu quem está ao teu lado. Ou que eu não sou a mesma quando estou contigo. Engasgo-me com o excesso de sentimentos - são tão limpos e tento encontrar alguma explicação que transcenda algum sentido. Não encontro. Talvez porque não exista. Nesse descompasso, deixo-te ficar ancorado no meu peito em busca terra firme - a mesma que desaparece tratando-se de sentimentos inefáveis. Ainda sim, seria bom - e ideal - desvencilhar-me dos medos sem fundamentos. Parece e até soa estranho, mas finalmente estou feliz.







11 comentários:

Vanessa disse...

sem palavras menina... :)

diana disse...

Muito bom.

L. M. disse...

Acho que te entendo.

Uma Lora qualquer disse...

cóooof...
mé q é?

um post q no final tá escrito : eu finalmente estou feliz

Uíiih =]
Pense na felicidade ao ler estas linhas...
ao saber q todos os sentimentos q habitam teu coração agora se resumem em felicidade!

Fico mto feliz priminha!
e gosto mais assim...
felicidade esburrando!
é isso q tu merece!

te amo!

Por entre o luar disse...

ADorei o blog=)
Voltarei:P

Beijinhos*

Pat Maionese disse...

Sei exatamente como é. O amor sempre chega. ;)

E o Tiago, já perdeu. rsrs

Lyani disse...

Obrigada por visitar o Incubadora Literária!
Tenho também um blog só meu, no wordpress... se algum dia quiser visitar: http://lyani.wordpress.com

Sem palavras quanto ao post.
Seu blog é lindíssimo!
Com certeza, virei mais vezes
Bjos,
Ly

O Profeta disse...

Onde acaba a terra e começa o Mar
Há um lugar onde vive a ilusão
Repousa na madrepérola das conchas
Com a forma de um coração

Onde as giestas se agarram à areia
Onde as pedras têm diadema de algas
Onde o Mar conta histórias longínquas
Onde as vagas soltam distantes mágoas


Bom fim de semana



Mágico beijo

Jonas disse...

"Este o nosso destino: amor sem conta, distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas, doação ilimitada e uma completa ingratidão, e na concha vazia do amor a procura medrosa, paciente, de mais e mais amor." (Drummond)

muito amor feliz e fecundo pra vc, karlinne! porque, como diria o waldick (minha homenagem póstuma): a gente não é cachorro não. =) feliz por vc, moça. abraço.

Uma Lora qualquer disse...

e mesmo sem te ver, acho até que estou indo bem... Só apareço por assim dizer, qndo convém aparecer ou qndo quero!

Feliz aniversário minha linda!
amo tu demais da conta, priminha torta!

Uma Lora qualquer disse...

mas, e aih?
Só pq tá feliz significa que não posta mais aqui?
sinto falta dos textos!