19 de agosto de 2006

Liberdade

Às vezes, você perde vários poemas
Porque sente uma frase
Sente algo murmurando no seu espírito
E não presta atenção
Porque está ocupado com os ruídos da vida.





Ao folhear minhas anotações pessoais, encontrei esse pequeno fragmento de Affonso Romano de Sant'anna que julguei muito interessante e me fez refletir durante um longo período.
Estas poucas palavras foram suficientes para atiçar meu pobre espírito. Resolvi que não mais deixaria que as idéias e os poemas passassem despercebidos ao meu olhar. Vou agarrá-los e transpô-los em cada palavra digitada, para que vocês (meus amigos e leitores deste bolg ) possam ler e sentir juntamento comigo.
Agora estou mais atenta, segura, desperta. Acho que estou um pouco mais livre para escrever. Livre de medos infantis, preocupações tolas. Superei alguns receios que me impediam de publicar minhas idéias, meus pensamentos, minhas confusões, meus descontentamentos, minhas (in)certezas.
E se realmente havia, nas profundezas do meu coração, alguma força maior que queira se manifestar e não sabia como, finalmente encontrei um modo de externá-las.

Uma vontade encontra uma maneira.
Não é verdade?

Estou livre.
Finalmente, livre.


E com todos os sentimentos do mundo no peito a transbordar.


Foto de Fritz Fabert.

6 comentários:

Carolina Cavalcante disse...

Huhuhuhuhu!Teu novo blog tá shoooOw muié!!!!Tão sério..mas massa! =D
Isso precisa de um pouco + de cor...hahahahaha Brincadeira!!
Parabéns,lindas coisas escritas!Lindo mesmo AMEI!bjãO prima =**

Indyra disse...

Gostei do seu blogger. Ele esclarece mais a sua maturidade, isso é maravilhoso. Também fala de vc de uma maneira direta e demonstrativa.
De cor preta, foto sem muito peso nas cores, fonte em equilíbrio com a foto e o fundo, nota 9,7. Dez ainda não é digno de nenhum ser humano.
Publicar os seus pensamentos, foi o que deixou bem claro, né? Que bom saber disso, pq eu ainda não fiz isso comigo mesmo pelo fato de nem sempre saber descrevê-los com são, mas, ninguém consegue, eu acho.

Um forte abraço!

Jésus disse...

Bem...depois que Carol e Indyra falaram quase tudo sobre o teu blog, fico até sem jeito de ser repetitivo...
Mas se tenho algo para te falar, que ajude, é isto: "Não pense, faça; não faça, sinta; não sinta, seja".
Aos poucos, eu te entendo, te desentendo, mas te amo do mesmo jeito...no seu jeitinho poeta, na tua mistura incompreensível, no teu jeitinho Karlinne de ser...
Parabéns, pelo blog. Perservere...!!!

Milena disse...

Menina forte, determinada, leal. Mulher acontecendo, despertando, com jeito de menina, mas de uma fortaleza inestimável. Letras que aconteciam no papel e agora desfilam nesse blog lindo. O que dizer? Parabéns, eu acho. Sempre. Pelo blog. Por ser quem és. Por (ainda) estar aqui, aí... Boa sorte no seu blog.

Rodrigo Oliveira Costa disse...

Você tá escrevendo bem... tem futuro essa menina...
Sabe aquela música que eu lhe disse que ia fazer?... eu fiz, depois eu arrumo uma forma de gravar e te enviar.

Indyra disse...

Tenho que dizer que vc deixou a minha garganta sem saliva e a minha boca seca. Nada a ver com sexualidade, pq não gosto muito de mulher, hehehe!
Vou concordar com Ricardo, vc está escrevendo muito, muito, muito bem. Profundidade, firmeza e muita clareza é o que vc passou em seus textos. Mas, o que mais me vi nele foi o que fala sobra ERROS! Meu Deus, eu quis chorar, quis voltar para épocas de grandes alegrias de minha vida, tbm, não quis voltar, o importante é que senti cada uma de suas palavras em meu coração e em minha mente. Fiquei fraca e limitada como nunca mais havia me sentindo ao ler um texto ou uma carta!São palavras fortes. Alguém já disse: as palavras podem ser uma arma melhor do que uma surra.
Estou aqui, admitindo que algumas palavras estão dirigidas diretamente para Indyra e isso dói, dói muito, pq nem sempre sei me ver com meus defeitos, então fica um enorme perdido de desculpa a vc e a mim...sou tão pequena em meu mundo de resolver tudo sozinha que qualquer coisa consegui me deixar triste.
Agora, não deixe que as palavras a serem escritas por vc fiquem limitadas a momentos de tristeza do seu coração, pois, de alguma forma, elas podem matar o que há de mais lindo em vc, sua pura.

Eu te amo e nunca duvide disso!